Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Resumo do GP do Japão

por Tiago Crispim, em 07.10.12

Chegamos a este GP do Japão com algumas certezas para 2013, nomeadamente a saída de Michael Schumacher, e as novas equipas de Lewis Hamilton e Sérgio Pérez. Mas, talvez para nos fazer lembrar qual tem sido a equipa dominante nos últimos anos, a Red Bull marcou os dois primeiros tempos na qualificação em Suzuka.

 

Sebastian Vettel tomou a pole, seguido do seu companheiro de equipa, Mark Webber e do piloto local Kamui Kobayashi, que volta a colocar a Sauber em destaque, depois de Button ter trocado a caixa de velocidades e ter caído cinco posições. Do quarto lugar partiu Romain Grosjean, seguido de Pérez, Alonso, Raikkonen, Button, Hamilton e Massa, a fechar os dez primeiros. Depois de anunciar que esta era a última temporada na F1, Schumi partiu do penúltimo lugar, com pneus duros.

 

Os bastidores. Kimi Raikkonen em reunião na motorhome antes da corrida.

 

A partida pareceu limpa, com Kobayashi a subir uma posição, mas imediatamente Fernando Alonso fez um pião e atravessou-se na pista. Pela transmissão não pareceu haver contacto entre pilotos, mas Rosberg foi também vítima da largada, tal como o brasileiro Bruno Senna,  que ficou sem asa dianteira. Foi preciso ver no replay que Raikkonen tocou em Alonso, que furou, e sem surpresa, Grosjean colidiu com Webber.

 

O Safety Car foi para a pista e Grosjean, Webber e Senna, aproveitaram para trocar para os pneus duros, e o nariz do carro.

 

O SC regressou à boxe pouco depois, com Vettel a manter a liderança seguido pelo japonês da Sauber.

 

Na sexta volta, o mexicano da equipa suíça aproveitou que Hamilton travou um pouco antes para passar, sem aviso, para a sexta posição. Era perceptível que o inglês estava a ter problemas com o McLaren, provavelmente com a afinação, já que dançava um bocado nas curvas.

 

Os sempre atentos stewards puniram Romain Grosjean com um stop and go  de dez segundos, altura em que a Mercedes informou Schumacher que perdeu a telemetria do seu carro.

 

Webber fala com Button e Di Resta, com Hulkenberg em primeiro plano, antes da parada dos pilotos.

 

As primeiras paragens começaram algures pela volta 14 e Kobayashi foi, com Raikkonen, um dos primeiros a parar. O japonês caiu para sexto, sendo o melhor, até então, dos que já tinham parado. Mas foi preciso esperar até à volta 18 para Vettel parar, tal como Massa, que era então segundo e manteve a posição.

 

Cheio de confiança, ou a tentar evitar bater, Pérez tentou ultrapassar, novamente, Hamilton. No mesmo lugar mas desta vez por fora. Perdeu o controlo do Sauber, derrapou as rodas o suficiente para chegar à relva e fazer um pião, e ficou fora da prova, embora tenha ainda mostrado resistência a desligar o motor.

Pode ter sido confiança a mais ou então descontrolo do carro mesmo antes de chegar à curva em questão.

 

Foi apenas nesta altura que Bruno Senna recebeu uma penalização por uma colisão na partida. Foi um drive through.

 

Stop & Go de Romain Grosjean.

 

Entretanto os McLaren debatiam-se com problemas. Hamilton queixava-se de já não ter pneus, e Button reclamava constantemente da sua nova caixa de velocidades, trocada no fim-de-semana e motivo pela perda de cinco lugares na partida. O piloto dizia que algumas mudanças não entravam bem e passavam pelo ponto morto antes de engatar, mas a equipa afirmava não haver problema e no fim, se houve, não fez grande diferença.

 

Webber, pela calada, era já nono, depois de ter caído para o fim do pelotão quando trocou a asa dianteira após o acidente na largada. O problema é que era também dos primeiros a trocar de pneus.

 

A segunda paragem nas boxes foi também rápida e sem incidentes de maior, com a maioria dos pilotos da frente a manterem dos lugares.

 

Button, que tinha passado Kobayashi, perdeu o lugar para o japonês depois da segunda troca, mas o Sauber não conseguiu aproximar-se o suficiente para chegar ao segundo lugar de Massa.

 

Como na corrida não se passava grande coisa, quase a dez voltas do fim, os comentadores portugueses aproveitam para dar uma breve explicação sobre aerodinâmica, bastante simples e competente, que ocupou as voltas 40 a 42.

Vettel levava 18 segundos sobre Massa e Kobayashi e Button mantinham-se em terceiro e quarto.

 

O furo de Fernando Alonso, que escreveu no final da corrida, no twitter, que ainda faltam cinco corridas para o fim...

 

O inglês da McLaren estava a ganhar tempo ao japonês da Sauber, com sete voltaas para o final, e a equipa prateada pediu para puxar pelo pódio. Era a luta mais animada deste final, e a meu ver, de toda a corrida.

 

Petrov ainda foi penalizado com um drive through por não respeitar as bandeiras azuis, logo depois de Kobayashi responder a Button e aumentar a sua distância. O japonês defendeu com unhas e dentes a posição, frente ao inglês cada vez mais próximo, e iguala o terceiro de Aguri Suzuki em casa.

 

Sebastian Vettel venceu a corrida sem problemas, desde a partida até  à bandeira axadrezada e Massa ganha o seu primeiro pódio deste ano.

 

Em suma, numa pista normalmente animada, vimos uma corrida pouco emocionante, a roçar o chato. A vitória de Vettel e o abandono de Alonso ditam que o espanhol mantém a vantagem com 194 pontos, contra os 190 de Vettel. No campeonato de construtores, a Red Bull  mantém também a vantagem.

 

Vettel em cima do seu Red Bull depois de ter vencido o GP.

 

O público japonês em histeria depois de Kobayashi cortar a meta foi a melhor parte da corrida.

 

Com esta vitória, a 24ª, Vettel iguala Fangio como o nono maior da história.

 

A F1 continua na Ásia, para a semana temos GP da Coreia.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:37

Programa de dia 10-10-2011

por Tiago Crispim, em 11.10.11

A análise ao GP do Japão e o seu resultado

 

 

 

Sebastian Vettel, Christian Horner e Adrian Newey a celebrarem o bi-campeonato com a Red Bull

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:49

O GP do Japão cronologicamente - Suzuka 09-10-2011

por Tiago Crispim, em 09.10.11

As condições já se sabiam de antemão.  Vettel precisava de um ponto para se tornar bi-campeão. E o piloto da Red Bull partiu da pole position para o Grande Prémio do Japão.

 

O alemão arrancou bem, mesmo com as queixas de Jenson Button sobre uma eventual penalidade ao piloto da Red Bull por o atirar para a relva.

 

A partida do GP do Japão, com Vettel a empurrar Button para a relva

 

Kamui Kobayashi e Bruno Senna tiveram um mau arranque e perderam várias posições. O japonês da Sauber caiu de sétimo para 12º e o brasileiro da Renault de nono para 13º.

 

Os Ferrari partiram de quarto e quinto, com Felipe Massa à frente de Fernando Alonso, mas rapidamente o espanhol apanhou o seu companheiro de equipa e ultrapassou sem dificuldades, não só porque é o primeiro piloto mas indubitavelmente ia mais rápido.

 

Alonso a preparar-se para passar por Massa

 

Como de costume os pilotos começaram a parar para mudar de pneus perto da décima volta. Um dos primeiros foi Lewis Hamilton, que imediatamente tinha perdido a posição para o colega de equipa. As primeiras trocas deixaram Button no comando e o inglês entrou nas boxes ao mesmo tempo que Alonso. As posições não trocaram.

 

Sebastian Buemi foi o primeiro desistente da corrida, graças a um incidente cozinhado nas boxes. Buemi estacionou o carro porque uma das suas rodas saltou do carro.

Na volta 16 os seis primeiros carros estavam todos bastante próximos uns dos outros e a ordem era a seguinte: Vettel, Button, Alonso, Hamilton, Massa e Webber.

 

Lá para o meio do pelotão as distâncias eram curtas

 

Kobayashi parou cedo para os padrões da Sauber mas ia em 12º e Sérgio Pérez ainda não tinha trocado de pneus na volta 18 de 53, preparando-se claramente para fazer, como de costume, apenas uma paragem com o Sauber. A equipa suíça é a única a conseguir fazer isto com os pneus Pirelli.

 

A Red Bull apostou numa estratégia de 3 paragens com Vettel. O alemão partou na volta 20 para o segundo set de pneus macios, o que indicava claramente a estratégia da equipa das bebidas energéticas. Button seguiu-se na estratégia e conseguiu ganhar a posição a Vettel.

 

Pérez parou na volta 21 e foi o último piloto a parar. Ainda faltavam 32 voltas para a bandeira axadrezada.

 

Hamilton entrou em contacto com Massa e um bocado da asa dianteira do Ferrari saltou. O programa anterior foi sobre a forma de Hamilton e a quantidade de penalizações que o inglês sofreu este ano. Será que ainda estavam mais para vir? Hamilton disse à sua equipa que não viu o brasileiro à entrada da chicane… e o inglês deve ter suspirado de alívio porque não o penalizaram desta vez.

 

Um incidente entre Hamilton e Massa fez sair o Safety Car, mas desta vez o inglês não foi penalizado

 

Por causa da colisão entre o McLaren e o Ferrari o Safety Car foi lançado à pista, pra se poder limpar os restos da asa dianteira de Felipe Massa. E a lógica corrida às boxes.

 

A luta pelo último lugar pontuável estava animada na volta 30. Petrov, Sutil, Rosberg e Kobayashi muito perto uns dos outros. Rosberg consegue ultrapassar Petrov uma volta depois. A acção continuava depois dos lugares pontuáveis, com o piloto japonês da Sauber a aguentar uma série de pilotos, entre eles os dois Williams.

 

Button no comando do GP do Japão

 

Vettel e a Red Bull devem ter achado que não fazia sentido arriscar a vitória, já que apenas um ponto bastava ao alemão, e Vettel começa a ser mais cauteloso e a não forçar o andamento. Foi também trocar para os pneus médios, naquela que foi a sua última paragem nas boxes.

 

Com as paragens nas boxes Michael Schumacher chega à liderança do GP. Mais atrás, Hamilton reencontra Massa e prova ao mundo da F1 que consegue fazer uma ultrapassagem limpinha.

 

Sérgio Pérez, em 11º e com apenas duas paragens, consegue fazer a melhor volta da corrida. Não fosse Paul Di Resta ter mais pontos, o mexicano era o rookie do ano.

 

Pérez a dar cabo dos pneus

 

Schumacher, que ia em primeiro também parou para restabelecer a ordem na corrida. Button, Alonso, Vettel, Webber, Hamilton, Schumacher, Massa, Pérez, Kobayashi e Di Resta nos dez primeiros.

 

Pérez estava ao ritmo dos primeiros. Fascinante! E na última das posições pontuáveis, Sutil passou Kobayashi e Petrov ganhou uma posição a Rosberg. O japonês da Sauber certamente queria fazer boa figura na corrida caseira mas estava com dificuldades em manter a competitividade com aqueles pneus, apesar das duas paragens.

 

Na volta 49 veio a confirmação que a Red Bull estava contente com o terceiro e quarto lugares dos seus pilotos. A equipa pediu para eles não correrem riscos.

 

E Fernando Alonso começou a aproximar-se cada vez mais de Jenson Button. Os quatro primeiros separados por seis segundos e um final em aberto para o GP do Japão.

Button ainda responde ao ritmo do espanhol e faz a volta mais rápida na penúltima volta.

 

Vettel a festejar com a Red Bull antes de subir ao pódio

 

Termina assim, com Vettel bi-campeão de F1, tendo terminado em terceiro.

O primeiro foi Button, seguido de Alonso e Vettel. Atrás ficaram Webber, Hamilton, Schumacher, Massa. Pérez, Petrov e Rosberg nos dez primeiros. Fora dos pontos ficaram Sutil, Di Resta, Kobayashi, Maldonado, Alguersuari, Senna, Barrichello, Kovalainen, Trulli, Glock, D’Ambrosio, Ricciardo e Liuzzi. O único piloto que não terminou foi Buemi.

 

Fotos retiradas a F1 Fanatic.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:38


Onde é que veio parar?

O Volta Mais Rápida é um blog sobre F1. O autor é um curioso, apaixonado pela Fórmula Um desde que se lembra, embora a sua carreira ao volante se fique pelos karts e pela Playstation. Trabalhou em alguns meios de comunicação como jornalista e hoje é técnico de rádio na Universidade Autónoma de Lisboa. Neste espaço quer dar a conhecer melhor o universo deste desporto e talvez despertar a atenção e a curiosidade de alguns interessados.



Contactos


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

subscrever feeds