Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Análise ao GP de Abu Dhabi - Yas Marina 13-11-2011

por Tiago Crispim, em 13.11.11

Esta corrida não foi como de costume. Normalmente há alguma aversão a esta pista, por ser pouco emocionante mas desta vez a corrida superou as (baixas) espectativas.

 

Sebastian Vettel saiu da primeira posição neste Grande Prémio mas despistou-se e ficou com um furo num dos pneus, o que o deixou logo no último lugar. Grande partida.

Mais atrás os dois Mercedes estiveram envolvidos numa luta aguerrida, com Schumacher a levar a melhor ao seu colega de equipa, mas quem aproveitou o furo de Vettel foi Hamilton, que passou para segundo.

O furo de Vettel é estranho já que o Red Bull não entra em contacto com nenhum outro carro. O campeão deste ano chegou às boxes mas os mecânicos detectaram um problema no suporte da roda traseira esquerda e abortaram a mudança de pneus. O alemão ainda continuou no carro, à espera de ver se se conseguia resolver o problema mas duas voltas depois desistiu.

 

 

A grelha de partida antes da corrida.


Quem também teve de ir às boxes na primeira volta foi Bruno Senna, que trocou de asa dianteira.

Jenson Button foi ultrapassado por Mark Webber pelo terceiro lugar mas rapidamente o piloto da McLaren recuperou a posição.

Os Williams conseguiram recuperar imensas posições até à volta cinco. Partiram os dois dos últimos lugares e estavam à sétima volta em 14 para Barrichello e Maldonado em 15.

Quem fazia também uma excelente corrida era Heikki Kovalainen, que seguia em 13º.

 

Hamilton conseguiu criar alguma distância entre ele e Fernando Alonso, que seguia em segundo. Lá mais atrás Sebastien Buemi subiu de décimo para nono ao ultrapassar Paul Di Resta mas rapidamente o piloto da Force India voltou a recuperar a posição. Outra luta era entre Michael Schumacher e Adrian Sutil, um bocadinho mais à frente, pela sétima posição. No fundo da grelha, Kamui Kobayashi ultrapassou os dois HRT de uma só vez. O japonês estava com Pérez e Senna nos últimos lugares porque fizeram uma paragem na boxe muito cedo.

 

Button avisou a equipa que estava com problemas no carro. o inglês seguia em terceiro, à 14ª volta, seguido de perto pelo único Red Bull em pista Mark Webber. Parece que era um problema com o KERS. Mesmo assim o inglês não desistiu e deu luta ao australiano, que tentava ultrapassar o McLaren. 

Nesta altura Felipe Massa foi trocar de pneus, e o mais certo é todas as equipas aproveitarem esta altura da corrida para o fazer. Hamilton, Alonso e Button foram logo a seguir. Kovalainen, que ainda estava em 13º foi também às boxes e saiu em 17º.

 

Porque não chegava a desistência de Vettel, a Red Bull ainda teve problemas na troca de pneus de Mark Webber, o que obrigou o australiano a perder muito tempo (9.4s) nas boxes. 

 

Foi nesta altura que a o sol se pôs e as luzes do circuito se acenderam.

 

Kobayashi, que ainda há pouco andava lá pelo final da grelha era agora décimo, ao aproveitar ter parado logo no início. Buemi levou o seu Toro Rosso até às boxes e desistiu. Tal como Jérôme D'Ambrosio, com um disco de travão partido. Mas estranha era a estratégia de Paul Di Resta, que parecia querer levar o seu carro até ao final com apenas uma paragem, tal como os Sauber costumaram fazer durante este ano.

 

Entretanto, lá na frente, Lewis Hamilton continuava incontestável, seguido de Fernando Alonso, Button, Massa e Webber. Estávamos na volta número 26.

Rapidamente Webber se chegou a Massa e o australiano tentou capitalizar um erro do Ferrari que saiu largo numa curva. Infelizmente para o Reb Bull, logo à saída da chicane ele também saiu largo e Massar recuperou a posição. Esta luta ainda estava longe de acabar e depois o par apanhou Pastor Maldonado e Jaime Alguersuari, que estavam prestes a ser dobrados. O problema é que também eles lutavam por uma posição, a 16ª, e acabaram por atrapalhar Massa e Webber. Maldonado deixou passar Massa mas meteu-se à frente de Webber. Deve ser penalizado pela segunda vez nesta corrida. A primeira foi por ignorar bandeiras azuis.

 

Mark Webber foi às boxes e trocou para pneus macios. O australiano já tinha feito uma paragem mas ainda não tinha usado os pneus mais duros, o que obriga o piloto a parar mais uma vez. A estratégia é estranha porque assim dificilmente ele chega ao pódio. Será um erro da Red Bull ou excesso de optimismo?

 

Com os pneus macios Webber conseguiu finalmente ultrapassar Button, numa manobra arriscada em que os carros quase se tocaram. 

Com a segunda ronda de paragens quem se viu em terceiro foi Nico Rosberg, apesar de ainda ter de parar mais uma vez. Antes disso ainda deu trabalho a Webber que estava a ganhar distância de Button, agora em quarto lugar depois da sua segunda paragem. Felipe Massa seguia em quinto mas à saída da primeira curva fez meio pião e perdeu imenso tempo. Não perdeu posições mas este incidente foi bom para o australiano da Red Bull porque assim Webber pode fazer mais uma paragem sem perder a posição para o Ferrari de Massa.

 

 

Uma vista dos bastidores da F1 e da HRT, com os engenheiros concentrados na corrida.

 

Daniel Ricciardo foi o quarto carro a desistir, com apenas quatro voltas para o final. Hamilton teve uma corrida tranquila, sempre no domínio. Para mostrar aos críticos que apesar da temporada não ter corrido muito bem e ter sido, pela primeira vez, ultrapassado pelo seu companheiro de equipa na F1 em pontos, ele ainda está pronto para lutar pelas vitórias.

 

Na última volta Mark Webber fez a tal paragem que lhe faltava e, graças a Massa, manteve a quarta posição.

 

Hamilton ficou em primeiro, seguido de Alonso, Button e Webber. Em quinto ficou Massa, à frente de Rosberg, Schumacher, Sutil e Paul Di Resta. A fechar os lugares pontuáveis, em décimo, ficou Kobayashi, seguido de Pérez, Barrichello, Petrov, Maldonado, Alguersuari, Senna, Kovalainen, Trulli, Glock e Liuzzi.

 

Quem não viu a bandeira xadrez foi Ricciardo, Buemi, D'Ambrosio e Vettel.

 

Hamilton dedicou a terceira vitória deste ano à sua mãe, que fez anos neste dia.

 

As fotos deste post foram retiradas ao Twitter da HRT e da McLaren.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:44



Onde é que veio parar?

O Volta Mais Rápida é um blog sobre F1. O autor é um curioso, apaixonado pela Fórmula Um desde que se lembra, embora a sua carreira ao volante se fique pelos karts e pela Playstation. Trabalhou em alguns meios de comunicação como jornalista e hoje é técnico de rádio na Universidade Autónoma de Lisboa. Neste espaço quer dar a conhecer melhor o universo deste desporto e talvez despertar a atenção e a curiosidade de alguns interessados.



Contactos


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D