Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Gp do Mónaco, 26 de Maio de 2013

por Tiago Crispim, em 26.05.13

 

Panorâmica do Mónaco

 

GP do Mónaco, como sempre cheio de gente e com sol. Ao contrário da qualificação, à chuva, favorável mais uma vez a Nico Rosberg. O segundo foi Lewis Hamilton, seguido de Sebastian Vettel. Logo atrás ficaram Webber, Raikkonen e Alonso. Pérez partiu de sétimo, seguido de Sutil, Button e Jean-Eric Vergne, que fez a sua melhor qualificação até à data e levava um capacete a homenagear François Cevert.

 

De 11º saiu Hulkenberg, à frente de Ricciardo, Grosjean, Bottas e Van der Garde. Em 16º Maldonado e atrás Di Resta, Pic Gutiérrez, Bianchi, Massa e Chilton, que tal como Massa trocou a caixa de velocidades e foi penalizado.

 

Rosberg a fugir da imagem e Hamilton atrás, na largada

 

Logo na volta de formação Bianchi ficou parado na pista. Na qualificação o piloto da Marussia também teve problemas e teve de trocar de motor.

 

Na largada Vettel tentou atacar os dois Mercedes mas não tinha espaço para passar. Sutil tocou em Button e perdeu a asa dianteira e o mesmo aconteceu a Van der Garde, que tocou em Maldonado. O venezuelano já não tinha asa da frente também. Ainda na primeira volta Pérez cortou a chicane, passando pelo companheiro de equipa. Button veio depois queixar-se da manobra à equipa. Algumas voltas depois Pérez recebeu instruções para devolver a posição a Button.

 

O incêndio no Caterham de Charles Pic

 

As ultrapassagens são sempre muito complicadas no circuito de Monte Carlo mas as perseguições eram muitas na nona volta, altura em que Pic parou o seu Caterham junto da entrada das boxes com um incêndio no carro.

 

Massa estava desde a partida atrás de Estebán Gutiérrez em 16º e o outro Ferrari seguia em sexto, fortemente pressionado por Button.

 

Com quinze voltas cumpridas, as equipas começavam a tratar de poupar os pneus, fator chave para vencer, ou pelo menos pontuar no Mónaco. Por isso os pilotos estavam em média oito segundos mais lentos que na qualificação.

 

 Rosberg a fugir novamente, desta vez no túnel

 

Na volta 23, Daniel Ricciardo foi o primeiro a parar para trocar de pneus. Logo depois viu-se um aumento de ritmo geral, a antecipar a primeira ronda de paragens. Nesta altura Paul Di Resta protagonizou, com Felipe Massa, uma excelente ultrapassagem na curva Ste. Devote. O escocês da Force India já estava a forçar o andamento desde a volta 19.

 

Na volta 30, Massa, com pneus novos, teve um acidente muito parecido com o que teve na terceira sessão de treinos livres. Travou largo e perdeu o controlo, indo parar às barreiras da Ste. Devote. Para apimentar a corrida, entrou o Safety Car.

 

O Ferrari de Massa depois do acidente

 

Por causa das trocas de pneus e entrada do Safety Car, Vettel e Webber passaram para segundo e terceiro, deixando Hamilton em quarto lugar. Esta foi a primeira vez nesta temporada que vimos o ‘SC’ liderar uma corrida e talvez valha a pena lembrar que os F1 já dobrados têm oportunidade de recuperar as voltas em atraso.

Nove voltas depois o carro de segurança saiu de pista e Rosberg manteve a liderança. Vettel recebeu uma mensagem pelo rádio para manter, para já, distância de Rosberg porque, ao contrário do que a Mercedes tinha dito, o piloto não tinha quaisquer problemas de desgaste. Alonso atacava Raikkonen em força e Hamilton tentou passar Webber em La Rascasse, com uma boa defesa de Webber.

 

O Safety Car a liderar a prova

 

Logo depois foi Pérez que protagonizou uma grande ultrapassagem a Button, desta vez sem tocar no companheiro de equipa. Duas voltas depois o mexicano tentou passar Alonso exactamente no mesmo sítio e o espanhol fugiu pela chicane. Pelo rádio ouvimos as duas versões. Alonso disse que evitou um acidente, e Pérez afirmou que o piloto da Ferrari cortou a chicane.

 

Mas isto rapidamente passou  para segundo plano quando Max Chilton tocou em Maldonado e levou o Williams a levantar voo, batendo de nariz com as barreiras na curva Tabac. O impacto arrancou as barreiras que bloquearam a pista e a bandeira vermelha foi mostrada. Quem levou com os restos foi o companheiro de equipa de Chilton, Jules Bianchi, que danificou a parte da frente do seu carro.

 

Maldonado a levantar voo

 

A frente do Marussia de Bianchi

 

O estado da barreira de proteção

 

Com a bandeira vermelha os carros podem ser arranjados e os pneus trocados, por a questão era se alguém conseguiria fazer as 32 voltas que faltavam sem parar.

 

Durante a paragem a questão era se Alonso iria devolver a posição a Pérez, dúvida esclarecida pela Ferrari pouco depois. Na largada o espanhol da Ferrari iria ceder a posição ao mexicano da McLaren.

 

A corrida foi relançada sob Safety Car, com Alonso a dar a sexta posição a Pérez, mas sem qualquer incidente. Max Chilton foi penalizado por ter causado a colisão com Pastor Maldonado.

 

Alonso em perseguição a Pérez

 

O único piloto da Ferrari ainda em pista não perdeu tempo em tentar ultrapassar Pérez e pressionava o mexicano, tal como Hamilton pressionava o Red Bull de Webber.

 

Adiran Sutil é que foi aproveitando a curva Loews (o gancho) para passar, primeiro Button e depois Alonso, para se alojar na sétima posição. A McLaren achou por bem avisar Pérez, que seguia em sexto, que Sutil estava “ao ataque”.

 

Bianchi, que resistiu ao acidente de Maldonado, abandonou na volta 61, com um problema no disco dos travões que acabou com o francês na escapatória de Ste. Devote.

 

Sutil a passar Alonso na Loews

 

Como não há duas sem três, o Safety Car regressou à pista graças a um acidente entre Grosjean e Ricciardo. O francês da Lotus entrou pelo Toro Rosso dentro à saída do túnel e partiu a asa dianteira. Ricciardo ficou sem asa traseira e abandonou na altura. Ainda durante o período de Safety Car, Grosjean foi até às boxes para abandonar a prova.

 

A colisão entre Grosjean e Ricciardo

 

Relançada a corrida, as posições mantiveram-se, com um ritmo bastante elevado. Pérez tentou passar Raikkonen mais uma vez, mas o finlandês da Lotus não deixou qualquer espaço e fez o McLaren tocar na parede. Voaram bocados de fibra de carbono mas o mexicano continuou em pista e Raikkonen foi trocar de pneus, perdendo várias posições.

 

Mais atrás Alonso tentou passar Sutil por fora em La Rascasse, mas Button conseguiu aproveitar a movimentação e ganhar posição ao Ferrari.

 

Raikkonen a apertar Pérez

 

Pérez foi aguentando o quinto lugar mas algo não estava bem com o carro e o piloto mexicano abandonou perto da entrada das boxes.

 

Rosberg levou o Mercedes à vitória, trinta anos depois do seu pai ter vencido no Mónaco. Em segundo terminou Vettel, seguido de Webber. Hamilton ficou em quarto, à frente deSutil, Button, Alonso, Vergne, Di Resta e Raikkonen, que fechou os lugares pontuáveis de forma notável, depois de ter subido desde último a menos de dez voltas do fim.

 

Hulkenberg, Bottas Gutiérrez, Chilton e Van der Garde terminaram depois e Pérez, Grosjean, Ricciardo, Bianchi, Maldonado, Massa e Pic não chegaram ao fim da corrida.

 

Nico Rosberg terminou em primeiro

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:57

GP de Espanha, 12 de Maio de 2013

por Tiago Crispim, em 12.05.13

À quinta prova a Fórmula 1 chega à Europa.

 

O GP da Catalunha

 

Nico Rosberg e Lewis Hamilton fizeram a dobradinha na qualificaçãoo para o GP de Espanha e partem do primeiro e segundo lugares. Vettel partiu de terceiro, seguido de Raikkonen, Alonso, Grosjean, Webber, Pérez, Massa e Paul di Resta em décimo.

 

Ricciardo, Vergne, Sutil, Button, Hulkenberg, Bottas, Maldonado, van der Garde, Gutiérrez, Bianchi, Chilton e Pic fecham o alinhamento.

Esteban Gutiérrez e Felipe Massa foram penalizados na qualificaçãoo por atrapalharem voltas de outros pilotos, e é por isso que Giedo van der Garde partiu de 18º com  seu Caterham. Massa caiu de sexto para nono.

 

A largada do GP de Espanha

 

Em termos de pneus, o calor era o principal fator que diferenciava a pista desde a altura dos testes de pré-temporada. Apenas os três últimos pilotos partiram com pneus duros, todos os outros optaram pelos médios.

 

A largada foi, mais uma vez, sem incidentes. Hamilton perdeu posição para Vettel e para Alonso, que numa grande partida já tinha passado Raikkonen. Massa ultrapassou Pérez para a sexta posição e recebeu apoio do seu engenheiro. Nos primeiros cinco lugares, pouco tempo os separa.

 

Button, em 17º queixava-se de dificuldades à sexta volta, e a Mercedes já tinha avisado Rosberg para cuidar dos pneus traseiros. Raikkonen aproxima-se e passa Hamilton, na altura em que Mark Webber, então em 13º, parou para trocar para os Pirelli duros.

 

A primeira paragem de Alonso nas boxes

 

Massa, Sutil, Hulkenberg e Maldonado também pararam nas boxes e Romain Grosjean arrastou-se para a boxe com problemas no seu Lotus. Parece uma suspensão partida. Alonso parou uma volta depois.

 

Rosberg e Vettel pararam na mesma volta e Alonso que tinha já parado, consegue ficar à frente do alemão da Red Bull. Lá mais atrás Pastor Maldonado era penalizado com um drive-through por exceder o limite de velocidade na via das boxes.

 

O espanhol da Ferrari passou Rosberg e começou a ganhar distância. Logo depois, passou Vettel e também Massa. Com a paragem nas boxes de Gutiérrez, que liderava, Alonso passou a líder da corrida.

 

Vettel a ultrapassar Rosberg

 

As dificuldades continuavam para o alemão da Mercedes, que era em seguida ultrapassado por Kimi Raikkonen. O piloto da Lotus era dos poucos que mantinha os pneus médios após a primeira paragem nas boxes.

 

Rosberg era então quinto e Hamilton décimo, depois de ser ultrapassado pelo Toro Rosso de Daniel Ricciardo.

 

Felipe Massa fez a segunda paragem depois de vinte voltas e coloca de novo os duros. Webber, Vergne, Maldonado e Bianchi também param.

 

O Caterham a regressar às boxes com três rodas

 

Lá em 17º van der Garde queixou-se de que uma das suas rodas estava a sair e a equipa disse-lhe para ir às boxes imediatamente. Infelizmente o piloto da Caterham não conseguiu segurar a roda mas chegou às boxes apenas com três pneus. Ainda saiu para a pista mas abandonou pouco depois. Na frente Vettel parava para troca de pneus e caiu para quinto. Rapidamente ultrapassou Rosberg.

 

Um desanimado Hamilton lamentava pelo rádio que tinha sido ultrapassado por um Williams, mas voltou a recuperar a posição. Na frente a Ferrari fazia a dobradinha, algo já não visto há algum tempo, e Raikkonen pressionava Vettel.

De volta ao rádio de Hamilton, a Mercedes pedia para cuidar dos pneus e o piloto respondia que não conseguia andar mais devagar.

 

Raikkonen a passar por Vettel

 

Finalmente na volta 34, com auxílio do DRS, o Lotus de Raikkonen conseguiu ganhar a terceira posição a Vettel, metendo-se por dentro na curva no final da reta da meta.

 

Na via das boxes Hulkenberg bateu em Jean-Eric Vergne, danificando a sua asa dianteira. “Demasiado tarde, a asa foi-se” disse o alemão da Sauber, que ainda teve de cumprir um stop & go de dez segundos como penalização.

 

Massa e Alonso pararam, com o espanhol a conseguir manter a liderança, e o brasileiro a perder uma posição para Raikkonen.

 

O toque de Hulkenberg com Vergne

 

Talvez por causa do incidente com Hulkenberg, o pneu traseiro direito de Vergne começou a desintegrar-se e obrigou a nova paragem nas boxes.

 

Em termos de estratégia, Raikkonen estava a apostar em apenas três paragens, tendo montado os pneus duros para as 20 voltas finais. Com a paragem do finlandês Massa regressou ao segundo lugar. Vettel é que não conseguiu passar o Lotus na paragem, mantendo-se em quarto.

 

Alonso parou pela última vez na volta 49, mas com 19 segundos de vantagem não teve problemas em manter a liderança. Três voltas depois Massa e Vettel também pararam. Mais atrás Button passava Hamilton pela 11a posição.

 

Button a passar Hamilton

 

Webber, que fez um péssimo arranque e andou apagado a corrida toda, passou Paul Di Resta para chegar ao quinto lugar.

 

Já Vergne recebeu uma mensagem de que tinha de abandonar com danos na roda dianteira esquerda. Seguia em 18º e foi o terceiro abandono na corrida.

 

A dez voltas do fim, já se podia concluir que foi mais uma prova desastrosa para a Mercedes, que tem um bom carro para as qualificações mas que depois não consegue gerir bem os pneus. Rosberg em sexto e Hamiton em 13º a defender-se dos ataques de Sutil, depois de os Mercedes terem partido dos dois primeiros lugares é francamente medíocre.

 

Hamilton conseguiu segurar Sutil até ao final

 

Para a Ferrari é o contrário. Alonso fez uma grande corrida, tal como Massa, que parece ter recuperado a sua forma este ano.

 

Grande corrida também para Estebán Gutiérrez que fazia a melhor posição neste ano, em 11º, depois de ter liderado e ter feito alguns dos melhores tempos.

 

Para prevenir a luta que vimos na corrida passada, a McLaren avisa Pérez que deve poupar os pneus e não atacar Button nesta fase da corrida. O inglês estava em oitavo e o mexicano em nono. Button partiu de 14º  e tendo em conta a prestação dos McLaren este ano, estava a fazer uma boa corrida.

 

Alonso com a bandeira espanhola

 

No final Fernando Alonso venceu em casa, seguido de Raikkonen e Massa. Vettel ficou em quarto, Webber em quinto e depois Rosberg, Di Resta, Button, Pérez e Ricciardo a fechar os dez lugares pontuáveis.

 

Fora dos pontos ficaram Gutiérrez, Hamilton, Sutil, Maldonado, Hulkenberg, Bottas, Pic, Bianchi e Chilton. Não terminaram Vergne, van der Garde e Grosjean.

 

A próxima corrida é no Mónaco a 26 de Maio.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:41


Onde é que veio parar?

O Volta Mais Rápida é um blog sobre F1. O autor é um curioso, apaixonado pela Fórmula Um desde que se lembra, embora a sua carreira ao volante se fique pelos karts e pela Playstation. Trabalhou em alguns meios de comunicação como jornalista e hoje é técnico de rádio na Universidade Autónoma de Lisboa. Neste espaço quer dar a conhecer melhor o universo deste desporto e talvez despertar a atenção e a curiosidade de alguns interessados.



Contactos


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

subscrever feeds