Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



GP de Espanha, 12 de Maio de 2013

por Tiago Crispim, em 12.05.13

À quinta prova a Fórmula 1 chega à Europa.

 

O GP da Catalunha

 

Nico Rosberg e Lewis Hamilton fizeram a dobradinha na qualificaçãoo para o GP de Espanha e partem do primeiro e segundo lugares. Vettel partiu de terceiro, seguido de Raikkonen, Alonso, Grosjean, Webber, Pérez, Massa e Paul di Resta em décimo.

 

Ricciardo, Vergne, Sutil, Button, Hulkenberg, Bottas, Maldonado, van der Garde, Gutiérrez, Bianchi, Chilton e Pic fecham o alinhamento.

Esteban Gutiérrez e Felipe Massa foram penalizados na qualificaçãoo por atrapalharem voltas de outros pilotos, e é por isso que Giedo van der Garde partiu de 18º com  seu Caterham. Massa caiu de sexto para nono.

 

A largada do GP de Espanha

 

Em termos de pneus, o calor era o principal fator que diferenciava a pista desde a altura dos testes de pré-temporada. Apenas os três últimos pilotos partiram com pneus duros, todos os outros optaram pelos médios.

 

A largada foi, mais uma vez, sem incidentes. Hamilton perdeu posição para Vettel e para Alonso, que numa grande partida já tinha passado Raikkonen. Massa ultrapassou Pérez para a sexta posição e recebeu apoio do seu engenheiro. Nos primeiros cinco lugares, pouco tempo os separa.

 

Button, em 17º queixava-se de dificuldades à sexta volta, e a Mercedes já tinha avisado Rosberg para cuidar dos pneus traseiros. Raikkonen aproxima-se e passa Hamilton, na altura em que Mark Webber, então em 13º, parou para trocar para os Pirelli duros.

 

A primeira paragem de Alonso nas boxes

 

Massa, Sutil, Hulkenberg e Maldonado também pararam nas boxes e Romain Grosjean arrastou-se para a boxe com problemas no seu Lotus. Parece uma suspensão partida. Alonso parou uma volta depois.

 

Rosberg e Vettel pararam na mesma volta e Alonso que tinha já parado, consegue ficar à frente do alemão da Red Bull. Lá mais atrás Pastor Maldonado era penalizado com um drive-through por exceder o limite de velocidade na via das boxes.

 

O espanhol da Ferrari passou Rosberg e começou a ganhar distância. Logo depois, passou Vettel e também Massa. Com a paragem nas boxes de Gutiérrez, que liderava, Alonso passou a líder da corrida.

 

Vettel a ultrapassar Rosberg

 

As dificuldades continuavam para o alemão da Mercedes, que era em seguida ultrapassado por Kimi Raikkonen. O piloto da Lotus era dos poucos que mantinha os pneus médios após a primeira paragem nas boxes.

 

Rosberg era então quinto e Hamilton décimo, depois de ser ultrapassado pelo Toro Rosso de Daniel Ricciardo.

 

Felipe Massa fez a segunda paragem depois de vinte voltas e coloca de novo os duros. Webber, Vergne, Maldonado e Bianchi também param.

 

O Caterham a regressar às boxes com três rodas

 

Lá em 17º van der Garde queixou-se de que uma das suas rodas estava a sair e a equipa disse-lhe para ir às boxes imediatamente. Infelizmente o piloto da Caterham não conseguiu segurar a roda mas chegou às boxes apenas com três pneus. Ainda saiu para a pista mas abandonou pouco depois. Na frente Vettel parava para troca de pneus e caiu para quinto. Rapidamente ultrapassou Rosberg.

 

Um desanimado Hamilton lamentava pelo rádio que tinha sido ultrapassado por um Williams, mas voltou a recuperar a posição. Na frente a Ferrari fazia a dobradinha, algo já não visto há algum tempo, e Raikkonen pressionava Vettel.

De volta ao rádio de Hamilton, a Mercedes pedia para cuidar dos pneus e o piloto respondia que não conseguia andar mais devagar.

 

Raikkonen a passar por Vettel

 

Finalmente na volta 34, com auxílio do DRS, o Lotus de Raikkonen conseguiu ganhar a terceira posição a Vettel, metendo-se por dentro na curva no final da reta da meta.

 

Na via das boxes Hulkenberg bateu em Jean-Eric Vergne, danificando a sua asa dianteira. “Demasiado tarde, a asa foi-se” disse o alemão da Sauber, que ainda teve de cumprir um stop & go de dez segundos como penalização.

 

Massa e Alonso pararam, com o espanhol a conseguir manter a liderança, e o brasileiro a perder uma posição para Raikkonen.

 

O toque de Hulkenberg com Vergne

 

Talvez por causa do incidente com Hulkenberg, o pneu traseiro direito de Vergne começou a desintegrar-se e obrigou a nova paragem nas boxes.

 

Em termos de estratégia, Raikkonen estava a apostar em apenas três paragens, tendo montado os pneus duros para as 20 voltas finais. Com a paragem do finlandês Massa regressou ao segundo lugar. Vettel é que não conseguiu passar o Lotus na paragem, mantendo-se em quarto.

 

Alonso parou pela última vez na volta 49, mas com 19 segundos de vantagem não teve problemas em manter a liderança. Três voltas depois Massa e Vettel também pararam. Mais atrás Button passava Hamilton pela 11a posição.

 

Button a passar Hamilton

 

Webber, que fez um péssimo arranque e andou apagado a corrida toda, passou Paul Di Resta para chegar ao quinto lugar.

 

Já Vergne recebeu uma mensagem de que tinha de abandonar com danos na roda dianteira esquerda. Seguia em 18º e foi o terceiro abandono na corrida.

 

A dez voltas do fim, já se podia concluir que foi mais uma prova desastrosa para a Mercedes, que tem um bom carro para as qualificações mas que depois não consegue gerir bem os pneus. Rosberg em sexto e Hamiton em 13º a defender-se dos ataques de Sutil, depois de os Mercedes terem partido dos dois primeiros lugares é francamente medíocre.

 

Hamilton conseguiu segurar Sutil até ao final

 

Para a Ferrari é o contrário. Alonso fez uma grande corrida, tal como Massa, que parece ter recuperado a sua forma este ano.

 

Grande corrida também para Estebán Gutiérrez que fazia a melhor posição neste ano, em 11º, depois de ter liderado e ter feito alguns dos melhores tempos.

 

Para prevenir a luta que vimos na corrida passada, a McLaren avisa Pérez que deve poupar os pneus e não atacar Button nesta fase da corrida. O inglês estava em oitavo e o mexicano em nono. Button partiu de 14º  e tendo em conta a prestação dos McLaren este ano, estava a fazer uma boa corrida.

 

Alonso com a bandeira espanhola

 

No final Fernando Alonso venceu em casa, seguido de Raikkonen e Massa. Vettel ficou em quarto, Webber em quinto e depois Rosberg, Di Resta, Button, Pérez e Ricciardo a fechar os dez lugares pontuáveis.

 

Fora dos pontos ficaram Gutiérrez, Hamilton, Sutil, Maldonado, Hulkenberg, Bottas, Pic, Bianchi e Chilton. Não terminaram Vergne, van der Garde e Grosjean.

 

A próxima corrida é no Mónaco a 26 de Maio.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:41

Aviso Legal

Todas as fotos e vídeos são retirados da internet e reproduzidos sem fins lucrativos, com o propósito de justificar os relatos de acontecimentos da actualidade. Se os respectivos autores pretenderem a não inclusão das suas obras neste espaço, avisem o autor do blog. Este disponibiliza-se a retirá-las de imediato.

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 Unported License.



Onde é que veio parar?

O Volta Mais Rápida é um blog sobre F1. O autor é um curioso, apaixonado pela Fórmula Um desde que se lembra, embora a sua carreira ao volante se fique pelos karts e pela Playstation. Trabalhou em alguns meios de comunicação como jornalista e hoje é técnico de rádio na Universidade Autónoma de Lisboa. Neste espaço quer dar a conhecer melhor o universo deste desporto e talvez despertar a atenção e a curiosidade de alguns interessados.



Contactos




Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D


Rádio Autónoma