Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



GP da Austrália - Melbourne, 17 de Março

por Tiago Crispim, em 17.03.13

Início de mais uma temporada na F1, depois de uma qualificação conturbada, com vários despistes devido à chuva. A Q2 e Q3 foram até adiadas, fazendo-se apenas no dia da corrida.

 

Antes de começar tivemos logo um abandono, o de Nico Hulkenberg, que não largou "por razões de segurança" (um problema no sistema de distribuição de combustível), de acordo com a sua nova equipa, a Sauber. Estreia adiada para o alemão.

 

A parada de pilotos antes da corrida

 

Outro alemão partiu da pole position, o inevitável Sebastian Vettel, seguido do seu companheiro de equipa e piloto que corria em casa, Mark Webber. Lewis Hamilton, agora na Mercedes, partiu da segunda fila, à frente de Felipe Massa e Fernando Alonso. Os dois Ferrari no meio dos Mercedes, com Nico Rosberg logo atrás. Os dois Lotus, com Kimi Raikkonen à frente de Romain Grosjean, seguidos de Paul di Resta, Jenson Button, Adrian Sutil, Jean-Eric Vergne, Daniel Ricciardo, Sérgio Pérez, Valtteri Bottas, Pastor Maldonado, Esteban Gutiérrez, Jules Bianchi, Max Chilton e Giedo van der Garde. Charles Pic não cumpriu a regra dos 107 por cento mas os comissários deixaram o piloto começar a corrida.

 

Apenas Ricciardo, Pérez e Maldonado alinharam na grelha com pneus médios; todos os outros optaram pelos super-macios.

 

Um ângulo diferente da foto oficial

 

Na partida Webber fez um mau arranque, e Massa, Hamilton e Alonso aproveitaram-se logo disso. O espanhol da Ferrari passou logo o Mercedes e passou ao ataque ao companheiro de equipa, que ascendera a segundo. Hamilton estava a ser pressionado por Raikkonen, que tinha ganho posição a Rosberg logo na partida. O finlandês da Lotus conseguiu passar o inglês da Mercedes na terceira volta. À vontade estava Vettel, com uma largada limpa. Daniel Ricciardo também foi longe de brilhante, tendo perdido posições para oito pilotos e seguia em último.

 

Massa, cada vez mais rápido, aproximava-se de Vettel e na quinta volta vimos a primeira paragem nas boxes. Jenson Button foi o primeiro a trocar pelos médios, seguido pouco depois por Webber, Grosjean e Gutiérrez.

 

A primeira paragem de Pérez nas boxes

 

Entretanto Ricciardo tinha já recuperado e seguia em 13º, na altura em que Vettel também decidiu trocar de pneus, à oitava volta. Na seguinte foi a vez de Massa ir às boxes. Raikkonen espalhava faíscas pela pista em perseguição a Alonso, mas antes que ultrapassasse o espanhol, foram os dois à troca de pneus. O líder agora era Hamilton, ainda com os super-macios, seguido de Rsoberg, Sutil e Pérez, que partiu com médios. Massa fazia o melhor tempo na 13ª volta, e na seguinte, Hamilton finalmente parou nas boxes para troca de Pirelli, e também ajustes na asa da frente.

 

Sutil liderava a corrida na volta 18, o único que ainda não tinha parado na boxe. Giedo van der Garde, entretanto, já ia na segunda paragem, graças a um furo lento que lhe deu cabo dos planos. Webber também parou pela segunda vez, na altura em que ouvíamos a comunicação via rádio com Pérez que as equipas iam fazer três paragens. Alonso, que se fartou de andar atrás do comboio liderado por Sutil, fez também segunda paragem, seguido de Button e Max Chilton. Adrian Sutil parou apenas na volta 22, seguido de Vettel. Na frente ficou Felipe Massa, e mais importante ainda, Alonso tendo parado uma volta antes, ficou também à frente do Red Bull do alemão. Massa na frente andou meio perdido, a perguntar ao engenheiro o que fazia agora. Duas voltas depois parou nas boxes e deixou a liderança para Raikkonen.

 

 A terceira paragem do dia para Valtteri Bottas

 

Na volta 25 Pastor Maldonado, que no ano passado esteve para vencer e terminou na parede, acabou a corrida na gravilha com um erro de travagem. Pisou a linha amarela limitadora da pista. Duas voltas depois foi Nico Rosberg a levar o seu Mercedes, lentamente, para uma escapatória. Estava em terceiro.

 

Uma chuva ligeira começou a cair na pista na volta 28, mas os pilotos estavam já avisados pelas equipas. Massa pressionava Sutil, sem resultados, na altura em que a Mercedes pedia a Hamilton para atacar Raikkonen, ainda na liderança. O inglês respondeu que estava a dar tudo o que tinha e que ia ser passado por Alonso, graças ao DRS do Ferrari. Depois de ser ultrapassado foi às boxes.

 

Massa voltou a parar na volta 37, seguido de Vettel. O alemão, três voltas depois passou Hamilton, que foi depois ultrapassado por Massa. O inglês a poupar pneus, recebeu logo depois uma mensagem da equipa para aumentar o ritmo.

 

A ultrapassagem de Alonso a Sutil

 

Raikkonen também aumentou o ritmo e passou Sutil pelo comando da corrida (volta 44), na altura em que Alonso fazia os melhores tempos em pista. O espanhol seguia em terceiro, cada vez mais perto de apanhar o Force India de Sutil.

 

Apagadinhos estavam os McLaren, com Button em nono e Pérez em 12º. Sutil voltou a parar, pela última vez, na volta 47. Trocou para os super-macios, na altura em que ficámos a saber, sem imagens, que Ricciardo tinha abandonado.

 

Raikkonen comandava, seguido de Alonso, Vettel e Massa. Sutil, Hamilton, Webber, di Resta, Button e Grosjean fechavam os dez primeiros com oito voltas para o final.

 

A escolha arriscada de Sutil nos super-macios estava a dar problemas. O Force India dançava na pista, a cinco voltas do final, com pneus claramente degradados. Hamilton e Webber passaram o alemão sem dificuldades. Depois de uma excelente corrida, Sutil estava em risco de ser ultrapassado também por Paul Di Resta e talvez ficar longe dos pontos.

 

Na boxe da Lotus tudo à espera

 

Só para mostrar o que vale o Lotus, Kimi Raikkonen ainda teve tempo de fazer a melhor volta da corrida, com duas voltas para o final. Alonso teve dificuldades para ultrapassar o retardatário Pic. No último lugar dos pontos estava o outro Lotus, a defender-se do McLaren de Pérez, claramente atrás do prejuízo.

 

No final venceu Raikkonen, seguido de Alonso e Vettel. Em quarto ficou Massa, à frente de Hamilton, Webber, Sutil, di Resta Button e Grosjean, a fechar os dez primeiros. Pérez, Vergne, Gutiérrez, Bottas, Bianchi, Pic, Chilton e van der Garde. Não terminaram Ricciardo, Rosberg, Maldonado e Hulkenberg, que aliás nem começou. A destacar as corridas de Raikkonen, Alonso, Massa e Sutil. A Lotus tinha dito que o carro era bom. Agora confirma-se. Pelo ritmo, a Mercedes também deve fazer boa figura este ano.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:48

Aviso Legal

Todas as fotos e vídeos são retirados da internet e reproduzidos sem fins lucrativos, com o propósito de justificar os relatos de acontecimentos da actualidade. Se os respectivos autores pretenderem a não inclusão das suas obras neste espaço, avisem o autor do blog. Este disponibiliza-se a retirá-las de imediato.

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 Unported License.



Onde é que veio parar?

O Volta Mais Rápida é um blog sobre F1. O autor é um curioso, apaixonado pela Fórmula Um desde que se lembra, embora a sua carreira ao volante se fique pelos karts e pela Playstation. Trabalhou em alguns meios de comunicação como jornalista e hoje é técnico de rádio na Universidade Autónoma de Lisboa. Neste espaço quer dar a conhecer melhor o universo deste desporto e talvez despertar a atenção e a curiosidade de alguns interessados.



Contactos




Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D


Rádio Autónoma